A produtora de vinhos Symington Family Estates criou vinhas experimentais no Douro onde investiga o comportamento das diversas castas de uvas e a capacidade de resistência à seca e ao tempo quente, consequências já sentidas das alterações climáticas.

São “bibliotecas de castas” e estão instaladas em zonas de climas diferentes: na quinta do Ataíde, no Vale da Vilariça, na Quinta do Bomfim, no Pinhão, e na vinha da Tapadinha, perto da Quinta do Retiro no vale do Rio Torto.

“Esta coleção visa preservar o património genético que temos na Região Demarcada do Douro”, afirmou à agência Lusa Fernando Alves, responsável pela área de desenvolvimento e investigação da Symington, durante uma visita à Quinta do Bomfim onde, nesta altura do ano, as vinhas estão despidas e no terreno os trabalhos incidem, sobretudo, na poda das videiras.

O objetivo destas “bibliotecas” é ampliar o conhecimento sobre castas autóctones do Douro e de outras de âmbito nacional e as mudanças climáticas tornaram este trabalho de investigação “particularmente relevante”, já que aqui estão também a ser investigadas quais as variedades que são mais resistentes ao calor e à seca.

Nas vinhas laboratório da empresa é estudado, segundo detalhou Fernando Alves, o comportamento de mais de 50 castas de uvas, “analisando-se os aspetos enológicos, vitícolas e, sobretudo, fenológicos porque permitem conhecer a dinâmica do ciclo de cada uma das castas, desde o abrolhamento ao pintor e ao período de maturação”.

Fonte: Sapo 24

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *