O mercado dos frutos e legumes frescos está a mudar rapidamente. As prioridades e gostos dos consumidores estão a evoluir, e os retalhistas e produtores precisam de se adaptar. Quem o diz é a FRUIT LOGISTICA, a feira internacional dedicada a esta indústria, que lançou o seu novo relatório de tendências de 2019.

Surprises in store,” produzido em conjunto com a empresa de consultoria Oliver Wyman, analisa as tendências que vão marcar o futuro do negócio dos frutos e legumes frescos, com base em questionários aplicados a mais de 7000 consumidores na Europa e na América do Norte.

Procura por produtos saudáveis e convenientes cresce

Tem pouco tempo para cozinhar, mas não quer abdicar de uma alimentação saudável? Bem-vindo ao clube de 45% de consumidores que sente o mesmo.
Hoje em dia, as pessoas têm menos tempo e também menos apetência por comida processada e pouco saudável. Assim, a procura por legumes e frutos saudáveis que simultaneamente estejam prontos a consumir ou cozinhar (pré-lavados, cortados e descascados) e que estejam embalados de forma acessível vai continuar a aumentar.
Esta tendência poderá mesmo levar a maior procura por variedades de frutos e vegetais que sejam mais convenientes – como os brócolos Bimi.

Diferenciação e qualidade são cada vez mais importantes

Há cada vez mais consumidores que se preocupam com o impacto ambiental dos hortofrutícolas que compram, a forma como estes são embalados e a dedicação à sustentabilidade demonstrada pelos retalhistas.
De facto, o compromisso dos retalhistas com a sustentabilidade é, para alguns consumidores (especialmente aqueles com rendimentos mais elevados), um factor importante na escolha de uma loja.
Ainda mais importantes são os frutos e legumes em si. Os consumidores estão a “virar-se para alimentos com menor impacto ambiental e de fontes sustentáveis, localmente produzidos e cultivados na época,” acrescenta o relatório.
Quanto às embalagens, os consumidores vêm o plástico como um grande problema – 87% dos respondentes disseram que se preocupam com o impacto deste material no ambiente. No entanto, só 50% disse que pagaria mais por embalagens biodegradáveis.

Consumo preocupado com impacto ambiental continua a crescer

Quando compram hortofrutícolas, 59% das pessoas valoriza sobretudo a qualidade, segundo a FRUIT LOGISTICA. Concretamente, os consumidores preocupam-se mais com a aparência, o sabor, o tamanho e o formato dos frutos e legumes.
A diferenciação não fica muito atrás da qualidade na lista de prioridades – cada vez mais pessoas (especialmente os segmentos urbanos, jovens e com rendimentos elevados) valorizam produtos que são locais, sazonais ou que têm uma marca forte que inspira confiança.
Se os retalhistas quiserem apostar na diferenciação, devem colaborar mais com os produtores do que fazem atualmente, defende a FRUIT LOGISTICA.
Essa será a única forma de inovar e disponibilizar rapidamente novos produtos a estes consumidores exigentes.

Fonte: marketing agrícola