A utilização de água nas plantas requer cuidados, conhecimentos básicos e alguma experiência. É importante saber que a  água dissolve e transporta os nutrientes e  ao evaporar-se, arrefece a planta. A frequência da rega depende, por um lado, das necessidades específicas de água nas plantas, mas também das condições do local ou do recipiente.
Plantas com folhas tenras e grandes têm uma maior necessidade de água devido à grande superfície de evaporação.
Espécies com folhas pequenas, carnosas ou coriáceas libertam menos água ou conseguem até armazená-la de modo a poderem sobreviver melhor nos períodos de seca.
Os vasos mais pequenos precisam de ser regados mais frequentemente do que os maiores; os recipientes de plástico mantêm a humidade durante mais tempo do que os recipientes de barro ou terracota.

•Controle diariamente a necessidade de água(a prova do dedo).Mesmo quando chove, pode acontecer que as plantas de varanda não recebam água suficiente porque, muitas vezes, uma grande parte da água da chuva corre sobre a espessa massa de folhas.
•O melhor é regar de manhã ou à tarde. Para evitar manchas feias, nunca regue ao meio-dia e não regue a planta por cima.
•Prefira a quantidade(mais água) à frequência(menos vezes).
•Só deve voltar a regar os cactos e as suculentas quando o substrato ficar seco.
•A maior parte das espécies não aguenta encharcamentos.
•Se um vaso, normal ou suspenso, ficar seco, coloque a planta num recipiente com água até deixarem de sair bolhas de ar.
•As azáleas ou as orquídeas, por exemplo, precisam de água com pouco ou nenhum calcário. Para estas espécies aconselha-se a recolha de água da chuva.

Fonte: A cientista agrícola / Blog